Ir para o conteúdo

Prefeitura de Penápolis / SP e os cookies: Nosso site usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Ao continuar você concorda com a nossa Política de Cookies e Privacidade.
OK
Quarta-feira, 01 de Fevereiro de 2023
Prefeitura de Penápolis / SP
Notícias
Enviar para um amigo!
Indique essa página para um amigo com seus dados
Obs: campos com asterisco () são obrigatórios.
Enviando indicação. Por favor, aguarde...
FEV
02
02 FEV 2021
EDUCAÇÃO
Secretaria de Educação informa sobre a volta às aulas na rede municipal
Foto Noticia Principal Grande
Na Fase Laranja, é permitida a volta das aulas presenciais com até 35% da capacidade
enviar para um amigo
receba notícias

A Secretaria de Educação da Prefeitura de Penápolis informa e orienta a comunidade a respeito do início do ano letivo de 2021. A volta às aulas na rede municipal ocorrerá no próximo dia 22 de fevereiro, para o Ensino Fundamental (1º ao 5º anos) e Educação Infantil (Pré-Escolas), e no dia 01 de março para as Creches (Berçário e Maternal).
De acordo com o secretário municipal de Educação, professor José Carlos Pansonato Alves, o Zeca, atualmente a cidade de Penápolis está classificada na Fase Laranja do Plano São Paulo de Combate à Covid-19. Diante deste cenário, Zeca informou que o Governo do Estado permite a volta das aulas presenciais com até 35% da capacidade. 
“Definimos esse calendário para que tenhamos tempo suficiente de nos organizarmos com a realização de algumas ações, entre elas a licitação para transporte escolar, compra de merenda, compra de equipamentos de segurança e insumos. Ao mesmo tempo vamos treinar os nossos profissionais tanto em relação aos protocolos de saúde como no preparo pedagógico”, explicou o secretário.
Ele ressaltou que não haverá obrigatoriedade em levar as crianças para as aulas presenciais. A opção é dos pais. Em caso de opção negativa, a família deverá buscar os materiais na escola para realização das atividades em casa, e devolver nas datas acertadas.

Sistemática
O professor Zeca descreveu que, nessa retomada das aulas presenciais, os alunos do Ensino Fundamental (1º ao 5º anos) serão atendidos em blocos, por semana. 
Exemplo: um bloco de alunos frequentará uma semana de aulas na unidade escolar, e um outro bloco de estudantes permanecerá em casa, fazendo as atividades entregues pelos professores. Na semana seguinte o papel será alternado. Ou seja, alunos que fizeram atividades em casa na semana anterior, dessa vez vão para uma semana de aula presencial. Os que foram à escola na semana anterior, permanecerão em casa para realizar as atividades programadas.
“O aluno frequentará uma semana de aula na escola, e na sexta-feira ele levará o material para casa. Na semana seguinte, ele já terá um roteiro do que precisa fazer a cada dia, enquanto que a outra turma frequenta a escola presencialmente”, esclareceu ele.

Ensino Fundamental
Nesse cenário esquematizado pela equipe da Secretaria de Educação, os alunos não ficarão na unidade por 4 horas, como de costume. O período de permanência será reduzido para 3 horas, das 07h às 10h. Não haverá intervalo, para evitar aglomeração.
Ainda de acordo com a sistemática adotada, todos os dias às 10h o aluno receberá alimentação na própria sala, cada um em sua carteira. Entretanto, essa dinâmica poderá futuramente ser readaptada, de acordo com a logística da unidade escolar.
“As carteiras serão posicionadas na distância segura preconizada pelos órgãos de saúde. Já definimos o tipo de prato adaptado que será servido a cada dia, com orientação nutricional. Depois de se alimentar, o aluno vai para a casa”, revelou Zeca. 
O secretário de Educação comentou que, após os alunos saírem de volta para a casa, os professores ficarão na escola. “No horário das 10h às 12h o professor ficará sozinho na sala. Será nesse momento que ele irá preparar as atividades para a semana seguinte e também para dar retorno às mensagens de pais e alunos por whatsapp, para esclarecimento de dúvidas, recados e demais orientações”.
Ele acrescentou que toda a equipe da secretaria e os gestores das unidades ficaram muito satisfeitos com esse modelo elaborado, e que a expectativa é de que será possível trabalhar bem e com segurança para todos.
Inicialmente, as atividades complementares dos contraturnos das unidades estão suspensas, sendo retomadas gradualmente no decorrer do ano.

Pré-Escola
Com relação à Educação Infantil (Pré-Escola), Zeca comentou que os alunos não ficarão em carteiras como no Ensino Fundamental, e sim em mesinhas. 
“Por isso será um grande desafio para nossa equipe, mas entendemos que dá para organizar da mesma forma. Um grupo de alunos vai à unidade numa semana e outro grupo de alunos na semana seguinte. “Usaremos a mesma logística de entrar às 07h e sair às 10h, fornecendo a alimentação”, garantiu.
“Consideramos que, com algumas adaptações, o mesmo esquema funcionará com sucesso também nas unidades de Pré-Escola”, avaliou ele.

Creches
Zeca Pansonato comentou que nas creches municipais o mesmo tipo de proposta não é adequado.
“Aquela mãe que depende da creche para deixar o seu filho ao ir trabalhar, não tem como levá-lo uma semana e na outra não. Neste caso não faz sentido para ela. Então, respeitando os percentuais de 35% de capacidade de atendimento, vamos selecionar, como prioridade, as crianças cujos pais mais precisam e que querem frequentar a unidade, para atender de forma contínua”, definiu.
“Será um grande desafio para a equipe, já que sabemos que há creches onde a procura deve até ser inferior a 35%. Existem pais que não querem levar os filhos, mas também há algumas localidades em que a expectativa é de procura quase da totalidade”, previu. 
“Então definimos que será feito um levantamento. No último dia 29 de janeiro as educadoras voltaram a trabalhar, e a partir de agora cada uma vai manter contato com os pais dos alunos dos seus grupos correspondentes. Assim será possível consultar e saber quem quer e quem precisa frequentar a creche. A partir daí faremos uma lista de classificação, contando com apoio da Assistência Social”, explicou.

Kit Alimentar
O secretário municipal de Educação garantiu que, para os pais que não contarem com atendimento presencial em qualquer nível (Ensino Fundamental, Pré-Escola e Creches), será mantido o fornecimento do kit alimentar. 
Como exemplo, ele citou o caso dos alunos do Ensino Fundamental e da Pré-Escola: para aquela criança que foi às aulas metade do mês, será fornecido um kit alimentar que corresponda à outra metade do mês em que ela não foi à escola, já que nos demais dias a criança se alimentou dentro da unidade. 
No caso das creches, receberão o kit aqueles alunos que não forem atendidos presencialmente, conforme a ordem de classificação/prioridade.

Transporte
A Prefeitura de Penápolis por meio da Secretaria de Educação, atende via convênio/parceria, as redes privada e estadual de educação com o transporte escolar. Entretanto o secretário Zeca relatou dificuldades para efetuar a contratação de empresa para fazer as linhas de ônibus.
“As redes estadual e privada ainda não nos abasteceram com as informações necessárias para que viabilizemos os ônibus escolares. Até o momento não recebemos a quantidade de alunos de cada escola que precisam do transporte, onde moram, quais os períodos estes alunos vão frequentar, quais os horários de entrada e saída, entre outros dados”, relatou Zeca Pansonato.
“Como contratamos um prestador de serviço para fazer uma linha de ônibus cujo percurso e horário ainda não conhecemos? Estamos buscando incessantemente esses dados junto aos responsáveis, pois inevitavelmente a responsabilidade e a cobrança recaem sobre a Prefeitura. Já oficiamos à rede estadual dizendo da necessidade de se pronunciar com urgência para providenciarmos a contratação”, disse ele.
O professor Zeca ainda completou falando sobre as questões que envolvem uma licitação, pois isso demanda tempo, estipulado em lei.
“Para a rede municipal não há problema, pois controlamos o que é do nosso domínio. Mas referente a esses convênios e parcerias, temos tido dificuldades em receber as informações”, acrescentou.

Profissionais 
A meta da Secretaria Municipal de Educação, além de atender com segurança e qualidade os alunos, é também cuidar e resguardar os profissionais do quadro, como professores, coordenadores, diretores, merendeiras, inspetores, auxiliares de serviços gerais, educadores e monitores. 
“Entendemos que, se nossos funcionários estiverem seguros e confiantes de todos os protocolos e todas as medidas adotadas, poderão cuidar ainda melhor das nossas crianças”, assegurou o titular da pasta. “Todos estão recebendo formação específica para maior eficácia no cumprimento das normas”. 
Para o caso do profissional que entende que não pode trabalhar com o seu determinado grupo de crianças, o secretário orientou que o mesmo procure o setor de protocolo da prefeitura e faça uma solicitação de dispensa, justificando as razões. 
O documento será avaliado em conjunto pelo Serviço de Recursos Humanos, Serviço de Pessoal e Médico do Trabalho, para um posicionamento técnico e legal a respeito desse impedimento (idade, comorbidade, outros riscos de saúde). 
Outra informação revelada pelo secretário de Educação é que já houve um ajuste, em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde, para que, caso sejam detectados sintomas da Covid-19 em algum aluno, que o mesmo seja levado imediatamente e atendido com prioridade nas unidades de saúde. “Esse ajuste, inclusive, vale para alunos e profissionais da secretaria”, assegurou.
Para finalizar, o secretário confirmou que, em um possível cenário de regressão para a Fase Vermelha do Plano São Paulo, o retorno às aulas será apenas remoto.

Secom – PMP
 

Seta
Versão do Sistema: 3.2.10 - 11/01/2023
Copyright Instar - 2006-2023. Todos os direitos reservados - Instar Tecnologia Instar Tecnologia